sábado, 8 de agosto de 2015

FAMÍLIA | Não queria estragar nada

 

Era suposto ser um sábado igual aos outros, mas não foi. Acordei com a voz da minha mãe, estava a falar ao telemóvel, soube logo que estava a falar de mim. Dizia que eu estragava sempre as coisas, que o maior erro dela tinha sido dedicar-se a mim em vez de se dedicar ao casamento.
Ontem ela queria ir à discoteca com o meu pai. Quando me perguntaram se queria ir disse logo que não, ela já sabia que não queria ir. Ao se aproximar ar 23h o meu pai disse que não lhe apetecia ir, e perguntou se eu queria, e eu disse que não. Ela ficou chateada, disse que eu estragava sempre os planos todos, agradeceu sarcasticamente, disse que para a semana já não queria ir de férias para lado nenhum. Hoje, o silêncio instalou-se. Ninguém pronúncia uma única palavra. Ela não fez nenhuma refeição comigo ou com o meu pai.
Perguntei ao meu se ele achava o mesmo, ele respondeu estupefacto que não.
A meio da tarde, já a entrar ao portão de casa, recebo uma chamada dela, atendo e ela pergunta onde estou, respondo que estou a chegar a casa. pensava que ela queria falar, ou até pedir desculpa, mas quando entrei em casa o que ela disse foi para eu arrumar as compras.
O casamento deles nunca foi perfeito, pelo menos depois de eu existir. Sempre pensei que poderia ser por minha culpa, os filhos costumam afectar de uma forma ou de outra o casamento, mas nunca liguei muito a isso, era só eu a pensar. Mas afinal a minha mãe culpa-me por o casamento deles ser assim. Eu não queria estragar nada.

2 comentários:

  1. Não ligues ao que a tua mãe disse, tu não estragas-te nada, ela com essas atitudes é que vai estragando ... Força!

    ResponderEliminar
  2. Tu estás aqui porque te quiseram. Ela não tem nada que colocar as culpas para cima de ti.
    Se há casais que funcionam com filhos, porque é que tens de ser tu a culpada? Ela é que não soube lidar nem conjugar as duas coisas. E acredita, se o teu pai diz que não, que não estragaste nada, então é porque o problema não foi a tua existência.
    Não és tu a mulher do teu pai, é a tua mãe. Eles que se resolvam.
    Mas acredito que esteja a ser difícil viver com estes comentários. Muita, muita força!

    ResponderEliminar

Deixa a tua opinião